27 de Março - Teresa Gabriel (Acústico)

Hiperligações para esta mensagem

Uma voz inconfundível, que consegue ser tão épica como delicada, uma guitarra inventiva, percussiva e original que por vezes mais soa a um quarteto de cordas devido à riqueza das harmonias que criam texturas quentes e místicas.
Uma folk acústica de laivos étnicos.
Já colaborou com variadíssimos projectos (Terrakota, ALAP, Ambiens Indages, Orchid Star, Jamie woon, lupanar), abriu os concertos de Beth Gibons no coliseu de Lisboa e Porto em 2003 e passou pelos palcos de vários festivais em Portugal e Inglaterra (Vilar de Mouros 2001, Sudoeste 2002, BOOM festival 2006 e 2008, Freedom Festival 2007, Andanças 2005 e 2006, The synergy project 2006,2007, Sunrise celebration 2006, etc...).

Entrada - 3€
Links: yahoo e last.fm

26 de Março - The Ruby Suns - Indie songs don't lie

Hiperligações para esta mensagem

No por vezes errático imaginário de Ryan McPhun encontramos uma frágil figura cuja relevância é maior que a imensidão na qual permanece perdida. Ao longo da primeira faixa de Sea lion, o fundador dos Ruby Suns relata-nos a desventura de um solitário pinguim azul, que afastado da sua colónia, se encontra à deriva, ao sabor das inconstantes ondas do Pacífico Sul, o mesmo Pacífico que segundo McPhun trará ambos de volta a casa.
Nascido na cidade de Ventura, California, McPhun cedo partiu para distantes paragens, rumando ao Quénia, seguindo-se a Tailândia e finalmente a Nova Zelândia. Ali conheceu Amee Robinson e juntos fundaram o projecto The Ruby Suns, inicialmente denunciando uma irreversível atracção pelo legado de Brian Wilson, tendo no entanto rapidamente evoluido para um combo tropicalista do qual nada é deixado de fora. Sea lion, o seu segundo álbum de originais, aclamado pela imprensa ao longo de 2008, cruza a pop solarenga dos Beach Boys e dos Animal Collective com os ritmos e vibrantes
vocalizações da África Austral, cabendo ainda neste melting pop uma marcada componente electrónica e alguns traços de noise ou psicadelismo.
Os seus concertos são marcados por uma rara efervescência, como que espontâneos exercícios de contagiante inclusão. Na noite de 26 de Março, em Coimbra, espera-se uma celebração. Nessa mesma noite, todos nós nos deixaremos levar por uma inconstante onda vinda do Pacífico Sul.

Entrada: € 8
(Reserva através do email: geral@lugarcomum.pt com indicação de Número de entradas pretendido, Nome, BI e Contacto)


Co-produção Lugar Comum/RUC, no âmbito do 23º aniversário da Rádio Universidade de Coimbra

Links: site, yahoo e last.fm

21 de Março 2009 - ENA PÁ

Hiperligações para esta mensagem
Praticamente dois anos depois, os ENA PÁ voltam ao Salão Brazil.


Os inigualáveis Ena Pá sobem a palco e garantem uma noite.... madrugada... manhã.

Melhor do que palavras ... registos do que foi essa noite ... do que será ...

Alguns links do que aconteceu a 30 de Março 2007:
CASAINHO - fotos e videos
Um cheirinho (Cortesia http://asinistraministra.blogsopt.com)

Concerto 21 de Março 2009
ENTRADA - 8€
Reserva aconselhada através do email (salaobrazil@gmail.com) ou telefone (239 824 217 / 916 906 494 / 931 786 941) indicando nome, nº entradas, telefone e/ou email

As portas abrirão às 22h. A partir das 20h poderão levantar as reservas ou adquirir entradas.



Um ano depois deste memorável concerto estão de volta ao Salão Brazil

Links 21/03: yahoo e last.fm

7 de Março - Put some... apresenta Aquaparque

Hiperligações para esta mensagem
Aquaparque
Os Aquaparque são constituídos pelos músicos Pedro Magina e André Abel. "É isso aí", estreia do duo em álbum, gravado em Maio de 2008, é um sólido leque de canções cantadas em português sem que a nossa língua pareça estranha ou sem musicalidade. Este é o Portugal de aqui e agora, contemporâneo sem a mitificação da tradição, e é exactamente por isso que “É Isso Aí” nos põe a olhar para a frente e não a pensar demasiado no que está atrás. Aquaparque transportam muito entusiasmo pelas margens do rock mas sabem, como ninguém o fez cá até agora, atribuir-lhes um contexto nosso, pensar local, uma extraordinária adaptação do slogan “vá para fora cá dentro” porque o álbum é mesmo fora e muito nosso mas dispensa facilmente os habituais fantasmas da música portuguesa. aqui
Entrada - 5€
Links: yahoo e last.fm

6 de Março - Minta (ft Manuel Dordio)

Hiperligações para esta mensagem

Francisca Cortesão
com Manuel Dordio [Jesus the Misundertood e Walter Benjamin] (guitarra e voz) e Filipe Pacheco (baixo e voz) - parceria em estreia
Folk Rock / Alt Country / Pop


A Francisca Cortesão fez canções, gravou-as em casa e decidiu mostrá-las através da Internet. As ditas ganharam corpo quando arranjou a muito boa companhia de três músicos: José Vilão, Filipe Pacheco e Nuno Rafael. E assim surgiu Minta.
«Minta é uma cantautora de desamores e inquietações, (...) tem algo de Feist ou Aimee Mann na dolência da guitarra ou nas notas esparsas do piano. Mas, mas do que isso, mais do que o ambiente nocturno destas "lullabies" gentis, há nas belíssimas harmonias vocais, que impõem sobre a melodia uma luminosidade espectral, um cunho que se impõe: uma "chamber pop" confessional que faz tangente à folk (como em "A Song To Celebrate Our Love"), que volteja em guitarras "Spectoreanas" e rodopio de carrosel em câmara lenta ("Search Skin Deep"). (...) You é um óptimo prenúncio para o álbum que lhe seguirá.» Mário Lopes, Ípsilon (Público) Link: minta
Entrada - 4€
Francisca Cortesão @ Salão Brazil
Foto Sofia P. Silva


yahoo e last.fm
..